domingo, 28 de dezembro de 2014

dar 45 minutos dá mais uma derrota

Numa primeira parte muito má dos visitantes, onde denotaram pouca ou nenhuma agressividade, nenhum discernimento, foi lisonjeiro o resultado ao intervalo para o que se havia passado; várias foram as situações de perigo junto da baliza de Lobo. Neste período, o Cortiço também teve duas situações de golo, numa delas com Rogério a enviar a bola à trave, ainda o resultado estava com vantagem mínima para os da casa, alcançada logo aos dez minutos. O segundo golo surgiria já perto do intervalo, onde toda a passividade da equipa durante o primeiro tempo foi demonstrada nesse lance. Na segunda metade, tudo seria diferente, o Cortiço entra forte e logo aos cinco minutos King ganha uma grande penalidade; Andrey reduziu a diferença. A partir daí, assistiu-se a uma forte pressão da equipa forasteira, a ter vários lances que poderiam dar o empate, com destaque para Andrey a ser o jogador mais perigoso dos visitantes. No entanto, perto do último quarto de hora, Ronaldo lesiona-se e fez apenas figura de corpo presente; a partir daí a recuperação foi impossível. Vitória que se pode considerar justa, porque dar quarenta e cinco minutos como o Cortiço deu ao adversário, geralmente dá derrota e foi o que aconteceu. Arbitragem muito fraca tanto a nível técnico como a nível disciplinar; no lance da grande penalidade dá a sensação que não existe falta, no entanto na primeira parte houve pelo menos um lance onde o árbitro deveria ter assinalado o respetivo castigo máximo numa falta sobre King, que possivelmente daria o empate, tendo esse lance acontecido logo a seguir ao golo inaugural da partida.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Ricardo
Luís (c)
Rogério
Silvério
Nuno Nunes
Moreira
Andrey
Diogo
António
King

Jogaram ainda:
Jardel
Ronaldo
Stalone

Golo: Andrey (pen.).


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Primeiro jogo sem sofrer golos...

O jogo começou da melhor forma para a equipa da casa que logo aos dois minutos faria o primeiro através de Rogério, depois de um pontapé de canto. Nos primeiros vinte cinco minutos, a equipa do Cortiço foi nitidamente superior e teve mais duas oportunidades de golo desperdiçadas. Depois desse período, a equipa de Santana acreditou e equilibrou o jogo, no entanto oportunidades nem vê-las; referência apenas para um pontapé de longe que Lobo defendeu para canto. Na segunda metade, a equipa da casa foi mais pressionante e o jogo desenrolou-se no meio campo defensivo dos forasteiros. O segundo golo surgiria aos quinze minutos do segundo tempo, por Flores na transformação de uma grande penalidade, já depois do Cortiço ter desperdiçado algumas boas ocasiões. Com o segundo golo, o Santana baixou os braços e o Cortiço aproveitou para fazer mais golos; o terceiro por Jardel depois de uma boa combinação de Andrey e Flores; depois por Silvério a aproveitar um erro do guarda-redes contrário, e a goleada a ser fechada numa grande jogada do jovem Andrey a fazer o quinto. Vitória justa, num jogo onde o resultado foi melhor que a exibição e onde o primeiro golo e o segundo mataram o jogo, levando a equipa vinda de Santana a baixar os braços. Arbitragem sem influência no resultado.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Ricardo
Rogério
Luís (c)
Silvério
Nuno Nunes
Moreira
António
Andrey
Flores
King

Jogaram ainda:
Jardel, Ronaldo e Bengalinha.

Golos: Rogério, Flores (pen.), Jardel, Silvério e Andrey,
Assistências: Flores (2)

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Para quando o final das ofertas

Numa primeira parte de domínio da equipa visitante, a equipa da casa tentava explorar a defensiva contrária em contra-ataques. Logo aos cinco minutos, teve uma grande oportunidade, com Diogo, em boa posição, a não dar o melhor seguimento à boa jogada de Andrey. No minuto seguinte, golo do Portel, num lance onde o guarda-redes Ricardo não esteve feliz, a oferecer a bola a um adversário para fazer o primeiro. Este golo permitiu aos visitantes maior tranquilidade, tendo a equipa do Cortiço muita dificuldade, especialmente a meio campo, onde invariavelmente os visitantes ganhavam os duelos individuais. O Portel chegou ao segundo golo já em cima do intervalo, num grande lance do avançado contrário. A destacar que o Cortiço antes tinha tido uma boa oportunidade com Cágado, para uma boa defesa do guarda-redes contrário, tendo também os visitantes uma grande oportunidade, com um jogador isolado a rematar ao lado. Já depois do segundo do Portel e ainda antes do intervalo, de novo Cágado que em boa posição desperdiça o que poderia ter sido o primeiro da equipa da casa. Na segunda parte, tudo foi diferente, os da casa tornaram-se mais agressivos, a lutarem bastante, enquanto os visitantes estavam mais na expetativa com o resultado conseguido. Aos quinze minutos, Flores de cabeça quase faz o golo correspondendo o guarda-redes com uma boa defesa para canto. Poucos minutos depois, o Cortiço faria o primeiro por Flores, com um grande cabeceamento sem hipóteses de defesa. Mas como as ofertas ainda não tinham acabado, logo no minuto seguinte, Diogo faz grande penalidade num lance inofensivo, resultando no terceiro para os forasteiros. Logo de seguida, Ronaldo em boa posição a falhar uma grande oportunidade. Cinco minutos depois, o Cortiço faria o segundo, também num lance de grande penalidade, num lance em que houve mão, mas fora da área; um erro grave do árbitro. Ronaldo aproveitou para fazer o segundo. Faltavam cerca de vinte minutos para acabar e, apesar de não ter grandes hipóteses de golo, a equipa da casa pressionou bastante os adversários, tendo muitos cantos e lances perto da área contrária sem, no entanto, chegar ao tão merecido golo do empate. Resultado que penaliza mais uma vez a equipa da casa que continua a oferecer golos aos adversários, num jogo onde não foi de maneira alguma inferior ao líder do campeonato. Arbitragem com alguns erros e um que já referimos que teve influência no marcador.

O Cortiço alinhou com:
Ricardo Marques
Ricardo Patuleia
Luís (c)
Rogério
Silvério
Nuno Nunes
António Patuleia
Andrey
Flores
Diogo
Cágado

Jogaram ainda:
Ronaldo, Moreira e Jardel.

Golos: Flores e Ronaldo (GP).

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Margem mínima

Primeira parte com domínio da equipa dos Canaviais, no entanto sem ter grandes ocasiões para inaugurar o marcador, à exceção de um lance aos vinte minutos, onde Lobo correspondeu com uma boa defesa. O Cortiço, por sua vez, denotava muita dificuldade para levar perigo à área contrária, tendo uma primeira parte inofensiva para a baliza dos Canaviais. O golo surgiria ao minuto quarenta, através de uma grande penalidade. Na segunda parte, o jogo foi mais vivo e mais equilibrado. Logo no início, os forasteiros a terem uma boa oportunidade com António a cabecear por cima, num lance onde os homens da casa reclamaram falta sobre o guarda-redes. A equipa da casa, no minuto seguinte, teve também uma grande oportunidade com um jogador sozinho no interior da área a rematar ao lado. Nos trinta minutos finais, apesar do maior domínio da equipa da casa, as melhores oportunidades foram para os visitantes: primeiro por Cágado que num livre fez a bola passar muito perto do poste, depois através de Flores que em boa posição rematou cruzado para defesa do guarda-redes contrário, e já bem perto do minuto noventa Jardel isolado a precipitar-se e a rematar de primeira à figura do guarda-redes contrário. Resultado que se aceita, numa boa exibição da equipa do Cortiço, que na segunda parte, com maior eficácia, poderia ter trazido um ponto na bagagem. Em relação aos últimos encontros notam-se muitas melhorias, apesar das limitações a nível ofensivo, denotando semana após semana muitas dificuldades na finalização. Arbitragem sem influência no resultado.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Ricardo
Luís
Silvério
Diogo
Nuno Nunes
António
Bengalinha
Cágado
Flores
Andrey

Jogaram ainda:
Ronaldo, Jardel e Mantas.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

como explicar o que aconteceu...

Na primeira parte, assistiu-se praticamente ao domínio da equipa visitante, pressionante e lutadora, mas infelizmente a falhar na finalização. No entanto, e logo aos trinta segundos, o Santana teve uma grande oportunidade de golo, depois foi um esbanjar de oportunidades do Cortiço, primeiro por Cágado que em boa posição chutou de primeira para boa defesa do guarda-redes contrário; depois por Flores por três vezes, numa delas com o guarda-redes a sair bem aos pés, e em dois cabeceamentos, já na pequena área; depois foi Jardel isolado a rematar por cima e depois foi Andrey, também em boa posição, a rematar às malhas laterais. No último quarto de hora, os da casa começaram também a criar algum perigo, tendo duas boas situações, uma num canto com um jogador da casa a rematar ao lado e noutra com um jogador isolado, mas a definir mal o remate. Na segunda parte, os primeiros minutos pautaram-se pelo equilíbrio, mas a destacar um grande remate de primeira de um jogador do Santana para grande defesa de Lobo para canto. O Cortiço também teve uma grande oportunidade e de novo por Flores que, no interior da área, rematou por cima. Depois, o jogo manteve-se equilibrado com a bola a andar arredada das respetivas áreas, e foi já no último quarto de hora que o Santana se adiantou no marcador através de Moreira que, com um cabeceamento infeliz, introduziu a bola na própria baliza. Depois os forasteiros nunca mais se encontraram, apesar dos da casa não terem oportunidades de golo. O segundo golo surgiria já nos descontos, num grande pontapé de fora da área sem hipóteses de defesa para Lobo. No último minuto da partida, seria Lobo a evitar, com duas boas intervenções, o avolumar do resultado. Resultado que reflete o que se tem passado esta época com a equipa do Cortiço, muita dificuldade na hora de finalizar e depois erros que vão penalizando semana após semana a equipa, lembrando que esta época em nove jogos para o campeonato é o quinto autogolo que sofre. Arbitragem em bom nível.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Ricardo
Luís (c)
Rogério
Silvério
Pedro Moreira
Nuno Nunes
Andrey
Flores
Cágado
Jardel

Jogaram ainda:
Ronaldo, Bengalinha e Diogo.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Finalmente a vitória...

O jogo começou num ritmo frenético. Logo aos trinta segundos, Flores, na pequena área e em boa posição, permite a defesa do guarda-redes contrário para canto; do canto nova grande oportunidade para os forasteiros, de novo por Flores a desviar ao primeiro poste e o guarda-redes de novo em grande plano. Desse lance dá contra-ataque e o Corval a desperdiçar também uma grande oportunidade para fazer o golo inaugural, golo esse que chegaria cinco minutos depois, com a defensiva do Cortiço a deixar jogar e a aparecer no interior da área o jogador da casa a encostar. Depois, o jogo acalmou um pouco e só perto da meia hora haveria algo a contar; cruzamento de Cágado e António a antecipar-se bem ao guarda-redes e defesas contrários e de ângulo difícil a empatar o jogo. A seguir a esse lance, deu-se o melhor período da equipa da casa que pelo menos em dois lances poderia ter chegado à vantagem; num desses lances o avançado driblou Lobo e sem ninguém na baliza rematou ao lado. Na segunda metade, apesar de um maior domínio da equipa da casa, a equipa forasteira mostrava-se mais ao jogo do que o tinha feito na primeira parte, no entanto oportunidades rareavam para ambas as balizas e seria o Cortiço a adiantar-se no marcador através de Luís a desviar um bom cruzamento de Cágado. Até final, o domínio pertencia à equipa da casa, mas as melhores oportunidades eram dos forasteiros, com o guarda-redes contrário pelo menos a tirar dois golos com defesas impossíveis. Já no último minuto dos descontos sobre descontos, o que ninguém percebeu (se os seis minutos eram justificáveis, os dois a seguir ninguém percebeu; a fazer lembrar um jogo com o Lusitano há duas épocas atrás com o mesmo árbitro), Lobo faz a defesa da tarde, com uma enorme defesa para canto depois de Luís desviar um cruzamento e a bola iria entrar ao canto. Vitória dos forasteiros que estiveram bem melhor do que têm estado, no entanto, ainda longe do que podem dar. Arbitragem a exibir-se bem na primeira parte mas na segunda um autêntico descalabro e demasiado caseira inclinando o campo, mas verdade seja dita o jogo não foi fácil de apitar com muitas picardias pelo meio.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Ricardo
Luís (c)
Rogério
Silvério
Nuno Nunes
António
Moreira
Cágado
Diogo
Flores

Jogaram ainda: Ronaldo, Bengalinha e Jardel.

Golos: António e Luís.

Assistências: Henrique Cágado (2).

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

azar..não explica tudo..

Num jogo equilibrado, o Alcaçovense esteve mais perigoso na primeira metade, tendo disfrutado de duas ocasiões para se adiantar, no entanto o golo surgiria aos trinta minutos, em mais um erro individual, uma constante esta época, Stalone ao tentar aliviar introduz a bola na baliza de Ricardo. Na segunda parte, o jogo manteve-se equilibrado, desta vez com maior domínio dos da casa, no entanto em dois lances similares a sorte mais uma vez a não querer nada com a equipa do Cortiço, com dois remates fora da área com a bola a embater na barra com estrondo, primeiro por Flores e depois por Nuno. Os visitantes espreitavam o contra-ataque e, num ou noutro lance, levavam perigo à baliza da equipa da casa. Já nos descontos o Alcaçovense faria o segundo, num lance onde o avançado que faz o golo está nitidamente fora de jogo. Resultado pesado para o que o Cortiço lutou, no entanto continua a ter poucas oportunidades de golo e quando as tem a sorte não os tem acompanhado. Arbitragem fraquíssima, o que é normal neste trio, que não agradou a nenhuma das equipas.

O Cortiço alinhou com:
Ricardo Marques
Ricardo Patuleia
Stalone
Rogério
João Silvério
Luís (c)
Nuno Nunes
António
Andrey
Flores
Ronaldo

Jogaram ainda:
Jardel, Diogo e Mantas.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Assim torna-se difícil...

Mais um jogo, mais problemas, num plantel com poucas soluções e neste momento com muitos jogadores lesionados, o Cortiço apresentou-se com poucos jogadores no banco e ainda por cima os que estavam não estavam  também em boas condições de dar o seu melhor. No entanto, esperar-se-ia uma melhor atitude da equipa forasteira perante estas adversidades, o que não veio a acontecer. Aos vinte minutos, o Arraiolense adiantou-se no marcador na primeira situação de perigo do jogo, em mais um erro da defensiva do Cortiço, uma constante esta época. Até final da primeira parte, mais um ou outro lance de perigo para os da casa, mas não conseguiram  fazer o segundo. Logo no início da segunda parte, o segundo para a equipa da casa, com os centrais contrários a dormirem por completo, com o ponta de lança a isolar-se e a faturar de novo. Até final, mais dois golos em mais duas ofertas, especialmente o último, e uma série de oportunidades da equipa do Arraiolense que poderia ter avolumado o marcador. O Cortiço apenas por uma vez teve uma oportunidade de golo, com António de cabeça a falhar o alvo. Vitória justa, em mais uma exibição a roçar o medíocre da equipa vinda do Cortiço, apesar de alguns elementos da equipa terem lutado por um resultado melhor, outros pareceu não estarem em campo, e  quando assim é torna-se difícil ganhar a quem quer que seja; nem as muitas ausências são desculpa para uma exibição sem garra e sem vontade, sem falar de alguns jogadores que por razões incompreensíveis faltaram à convocatória. Arbitragem sem complicar, num jogo fácil de dirigir, tal foi a falta de agressividade da equipa visitante.

O Cortiço alinhou com:
Ricardo Marques
Ricardo Patuleia
Nuno Nunes
Pedro Moreira
Diogo
Luís (c)
Andrei
Jardel
Mantas
Flores
Ronaldo

Jogaram ainda:
João Silvério e António.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Demasiados erros...

O jogo começou da pior forma para o Cortiço, pois logo no primeiro minuto o arbitro marca penalty contra a equipa da casa, lance que pareceu ter existido falta sim, mas fora da área. Dez minutos depois, Andrey restabelece a igualdade com um grande remate à entrada da área. Até final da primeira parte, o jogo pautou-se pelo equilíbrio, tendo o Estremoz mais iniciativa de ataque, mas situações de perigo apenas teve uma, com um jogador, ao segundo poste, a não conseguir finalizar. Os da casa responderam com um grande remate de Flores, no entanto a bola saiu ao lado. No último minuto da primeira parte, um erro de Rogério que, ao tentar aliviar, sai uma rosca e a bola aparece ao segundo poste onde aparece um jogador em cima da linha de golo a confirmar. Na segunda metade, o mesmo equilíbrio, com os visitantes a desperdiçarem a sua melhor ocasião durante toda a partida, com um jogador completamente sozinho no interior da área a rematar por cima. O Cortiço, através de António, poderia ter chegado à igualdade num livre, em que o guarda-redes defende para canto. Perto dos vinte minutos, o Estremoz faz o terceiro em mais um brinde, num livre lateral, um cruzamento inofensivo e a bola a entrar direta na baliza de Lobo, num lance onde não esteve feliz. Até final, o Cortiço tentou tudo, pressionou mais o adversário, dispôs de vários cantos, esteve algumas vezes bem perto do golo, no entanto a sorte não esteve presente para a equipa da casa, que lutou do princípio até ao fim por um  resultado melhor, num jogo onde tudo lhe correu mal. Arbitragem de fraco nível e com influência no resultado.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Ricardo
Stalone
Rogério
Silvério
Luís (c)
Nuno Nunes
António
Diogo
Andrey
Flores

Jogaram ainda:
Ronaldo, Pedro Nabo e Mantas.

Golo: Andrey.
Assistência: Flores.

domingo, 26 de outubro de 2014

Cortiço x Estremoz


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

não merecia outro desfecho...

No derby concelhio, apresentaram-se duas equipas a precisarem de pontos. Na primeira parte, pouco há a registar, a não ser a estranha apatia dos forasteiros, a chegar sempre tarde aos lances, a ser pouco ou nada agressivos, respondendo e bem os visitados, a serem aguerridos e a serem uma equipa, coisa que o Cortiço não conseguiu neste jogo ser. Foi sem surpresa que, por volta dos quinze minutos, o Valenças se adiantou no marcador, onde a defesa contrária ficou muito mal no lance, no entanto muito mérito para a jogada do Valenças. De resto, a destacar um lance de Flores e outro de Luís a desperdiçarem duas oportunidades de golo, tendo também, já perto do intervalo, o Valenças tido hipótese de aumentar a vantagem através do seu avançado que do lado esquerdo com um  excelente pormenor sobre Rogério, mas depois o remate a sair torto. Na segunda parte, esperava-se uma reação da equipa forasteira, no entanto nunca apareceu e deu sempre a sensação que seria o Valenças a chegar ao golo, que dispôs de um livre em que a bola bateu na barra. Já nos dez minutos finais os da casa voltaram a faturar, e por duas vezes, numa altura em que os visitantes apostavam tudo para chegar ao empate. A destacar, já perto do fim, mais uma oportunidade para equipa da casa com mais um livre e de novo a bola a embater na barra de Ricardo. Vitória justíssima da equipa da casa, onde mais uma vez o Cortiço teve uma prestação horrível, numa equipa que está muito longe do que pode e deve fazer, e onde pelo menos por respeito às pessoas que lutam pelo clube existir e pelos adeptos devem lutar por cada lance como se fosse o último, o que não vem sucedendo pelo menos nestes últimos dois jogos. Arbitragem muito positiva e sem erros de maior.

O Cortiço alinhou com:
Ricardo Marques
Ricardo Patuleia
Nuno Nunes
Stalone
Rogério
Luís (c)
António
Tope
Cágado
Flores
Andrei

Jogaram ainda:
Ronaldo
King
Moreira

terça-feira, 14 de outubro de 2014

E tudo correu mal...

Num jogo disputado em condições climatéricas muito desfavoráveis e jogado num autêntico lamaçal, foi mais forte e feliz a equipa visitante. Começou melhor a equipa do Outeiro, dispondo de duas boas situações de golo nos primeiros vinte minutos. No entanto, pouco depois chegaria ao tento inaugural num remate à entrada da área, onde a defensiva contrária não está isenta de culpas. No último quarto de hora da primeira parte, houve uma reação da equipa da casa, primeiro numa grande penalidade que Flores desperdiçou, e logo de seguida, numa boa jogada de António, Moreira quase em cima da linha de golo a fazer um passe ao guarda-redes contrário. Na segunda metade, logo nos minutos iniciais, o Cortiço fez o golo, no entanto seria anulado por indicação do auxiliar, num lance duvidoso e onde o auxiliar só levantou a bandeira muito depois de a bola ter entrado. Quase na resposta, os visitantes fariam o segundo golo, no lance onde a passividade da equipa contrária não tem explicação. Com este golo, o jogo praticamente morreu, o Cortiço sem o mínimo discernimento, muito coração, mas muito pouca cabeça, lutou por chegar ao golo, no entanto quem chegaria ao golo seriam os visitantes; depois do avançado visitante isolado permitir a defesa de Lobo, o árbitro marcou pontapé de baliza e assim nasce o terceiro, Nuno bate mal, o avançado antecipa-se ao central, passa por Nuno e por Lobo e atira para o terceiro golo forasteiro, um golo incrível, que já nem nos infantis se sofre. Vitória justa do Outeiro, que jogou um futebol prático, ao contrário dos homens da casa, e onde tudo correu mal à equipa da casa, desde o vento forte que jogou contra na primeira parte, e que na segunda praticamente nem existiu, ao penalti falhado, o possível golo do empate anulado pelo auxiliar, juntando a isso péssimas exibições a nível individual, cometendo-se demasiados erros, erros esses que se pagaram bem caro. Arbitragem com alguns erros, ficando na dúvida o tal lance de golo anulado, mas mesmo assim positiva.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Ricardo
Nuno
Rogério
João Silvério
Topê
Luís (c)
António
Pedro Moreira
Andrey
Flores

Jogaram ainda:
Ronaldo, Pedro Nabo e Jardel.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

De cabeça erguida...

Três semanas depois, as duas equipas voltaram a defrontar-se, desta vez para a taça de Évora. Entrou muito forte a equipa dos Canaviais, fazendo uma forte pressão sobre a equipa da casa que sentia muitas dificuldades, principalmente a meio campo, onde invariavelmente perdeu praticamente todos os duelos individuais, notando-se uma enorme falta de agressividade da equipa da casa, extremamente macia, ao contrario do que havia feito no jogo do campeonato. Numa primeira parte muito forte dos visitantes, e muito fraca dos visitados, valeu à equipa da casa a fantástica exibição do seu guarda-redes Ricardo, pelo menos a evitar três golos aos oponentes; de salientar que na única vez que Ricardo foi suplantado, estava o poste para travar um grande remate do jogador dos Canaviais. Ao intervalo, o resultado era extremamente lisonjeiro para a equipa do Cortiço. Na segunda metade, os Canaviais continuaram o seu ascendente, mas já com oposição da equipa adversaria que se tornou mais agressiva, reduziu os espaços aos adversários, fazendo uma segunda parte bem melhor do que havia feito, tendo os visitantes, nesse segundo tempo, apenas duas boas hipóteses de golo, que mais vez Ricardo evitou. O Cortiço apenas por uma vez levou perigo à baliza adversaria, já bem perto do fim, num cabeceamento de Silvério, com a bola a passar rente ao poste. No prolongamento, os da casa, já com muitas dificuldades físicas, ainda foram os primeiros a criar perigo com Ronaldo a não conseguir finalizar um grande cruzamento de Cágado, com a bola a sair ao lado, quando se encontrava em boa posição. Os visitantes, logo de seguida, tiveram uma boa oportunidade para se adiantarem. Aos dez minutos, o golo dos Canaviais com um jogador a aparecer sozinho e de cabeça a fazer o golo. Até final, os visitantes controlaram bem o jogo, fazendo posse de bola e não dando hipóteses do Cortiço fazer o golo que levasse o jogo para as grandes penalidades. Vitória justa dos visitantes que demonstraram neste jogo o porquê de  serem considerados os mais fortes candidatos à vitória do campeonato. Quanto ao Cortiço, não pode, nem deve voltar a fazer uma primeira parte tao má. Em relação ao resto do jogo, valeu pela atitude e pelo espirito de sacrifício demonstrado. Arbitragem muito boa no primeiro tempo, com alguns erros no resto do jogo, mas regular e sem influência no resultado.

O Cortiço alinhou com:
Ricardo Marques
Ricardo Patuleia
Nuno Nunes
Rogério Malagueira
João Silvério
Luís (c)
António
Pedro Moreira
Diogo
Topê
Flores

Jogaram ainda:
Henrique Cágado
Ronaldo
Andrey

terça-feira, 23 de setembro de 2014

sem discussão...

Desde o início do jogo que a equipa da casa foi mais dinâmica, criando pressão sobre o último reduto do Cortiço, valendo o pouco acerto da equipa do Portel no primeiro tempo, onde tiveram três ou quatro enormes ocasiões de golo, com especial incidência, uma grande penalidade desperdiçada com um remate por cima da barra, e outra ainda mais soberana com um jogador a dois metros da linha de golo e sem guarda-redes a chutar por cima. Ao intervalo registava-se um nulo que penalizava a equipa da casa, numa primeira parte muito fraca dos visitantes. No segundo tempo, e nos primeiros quinze minutos, o jogo esteve mais equilibrado, mas sem oportunidades em ambas as balizas. No entanto, exatamente à passagem dos quinze minutos, a equipa da casa adiantou-se no marcador a aproveitar um erro dos dois centrais que disputam a bola, sobrando a bola para o avançado que, isolado e ainda de fora da área, faz um grande golo, sem hipóteses para Ricardo. Cinco minutos depois, o Portel faria o segundo golo através de um pontapé de canto, onde houve uma enorme passividade da defesa, guarda-redes incluído. A partir daí, o Cortiço tentou reagir e teve um bom remate através de Cágado, para boa defesa do guarda-redes contrário, e um cabeceamento de Rogério depois de um canto. Já nos descontos, o Cortiço reduziria através de António que isolado contornou o guarda-redes e atirou para o ponto de honra; no minuto seguinte o Portel faria o 3-1 final. Vitória justíssima da equipa da casa, num jogo muito pouco conseguido dos visitantes onde nunca se encontraram com as constantes trocas de bola da equipa adversária, a mostrar que será uma das candidatas a subir. Arbitragem sem interferência no resultado.

O Cortiço alinhou com:
Ricardo Marques
Ricardo Patuleia
Nuno Nunes
Stalone
Rogério
Luís (c)
António
Torres
Diogo
Cágado
Flores

Jogaram ainda: Topê, Bengalinha e Jardel.

Golo: António.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Vitória Saborosa...

Numa tarde de muito vento, entrou melhor a equipa da casa que logo ao minuto três inaugurou o marcador através de Cágado, que, de cabeça, correspondeu a um bom cruzamento de Torres. Reagiu como se esperava a equipa visitante fazendo o golo do empate quinze minutos depois num livre lateral, onde o guarda-redes da casa não fica isento de culpas. No entanto, parece que este golo teve o condão de acordar a equipa da casa que até aí pouco ou nada tinha feito para contrariar a maior valia do adversário, que até então tinha sido mais dominante, apesar de não criar lances de real perigo. O segundo golo surgiu cinco minutos depois do golo dos Canaviais através André Flores com um excelente remate de fora da área a atirar a contar. Cinco minutos depois, de novo através de Flores com um cruzamento remate a fazer o 3-1, que se registava ao intervalo; de salientar que já perto do intervalo o Cortiço poderia e deveria ter feito o quarto, não fosse Torres, primeiro isolado, chutado a bola que  vai a sair e aparecer António quase em cima da linha de golo a enviar a bola ao poste da baliza adversária. Na segunda parte, esperava-se a natural reação da equipa forasteira recheada de bons executantes, e foi isso que aconteceu. Logo no início com duas falhas dos homens da casa, com o primeiro a rematar perante Ricardo que com uma defesa evita o golo, e minutos depois de novo com um jogador isolado a rematar ao lado. Na segunda parte, o Cortiço sentiu muitas dificuldades para ultrapassar o seu meio campo, mas, no entanto, tiveram uma atitude extraordinária, não concedendo grandes hipóteses à equipa forasteira para reduzir. Já perto do fim e quando os forasteiros já só tinham dez elementos em campo devido a um jogador se ter lesionado quando já tinham efetuado as três substituições, surgiu o segundo golo para a equipa dos Canaviais, num auto golo da equipa da casa com Stalone a aliviar e a bola a embater nas pernas de Nuno e  a entrar na baliza de Ricardo. Até final, os visitantes bombearam muito em busca do empate, e já perto do final do encontro Tope consegue tocar para canto, quando aparecia um opositor para fazer golo, numa altura em que também o Cortiço jogava com dez homens devido à expulsão de Silvério, que teve de fazer uma falta útil, num lance que levava muito perigo para a sua baliza. Vitória justa da equipa da casa pelo que fez na primeira parte e pelo que soube sofrer na segunda, onde também teve alguma felicidade. Arbitragem muito irregular.

O Cortiço alinhou com:
Ricardo Marques
Ricardo Patuleia
Nuno Nunes
Stalone
Silvério
Luís (c)
António
Torres
Diogo
Cágado
Flores

Jogaram ainda:
Topê
Jardel

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Jogos 2014/2015

Campeonato

14/9 cortiço - canaviais
21/9 portel - cortiço
28/9 santana - cortiço
12/10 cortiço - outeiro
19/10 valenças - cortiço
25/10 cortiço - estremoz
2/11 arraiolos - cortiço
9/11 cortiço - alcaçovas
16/11 corval - cortiço
Taça
4/10 cortiço - canaviais

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

9.ª Edição do TORNEIO FERREIRA


quarta-feira, 9 de julho de 2014

FESTAS POPULARES


terça-feira, 13 de maio de 2014

11 guerreiros...

O Cortiço apresentou-se para o seu último jogo da época com apenas 11 elementos disponíveis e com Stalone a fazer de guarda-redes. O Cortiço iniciou bem o jogo dispondo de duas ocasiões de golo, uma delas desperdiçada por Mantas completamente sozinho na área, no entanto, foi o Brotense que se adiantou no marcador através de um bom remate cruzado. O Cortiço foi à procura do empate e dispôs de várias ocasiões de golo e foi numa dessas situações de golo que João Carneiro faz uma boa recepção na área e finaliza da melhor forma.
A segunda parte foi mais lenta, fruto do cansaço e calor que se fazia sentir, mas o Cortiço continuou a dispor de oportunidades para marcar. Paulo Batista e Carneiro desperdiçaram boas ocasiões para marcar, até que o golo acaba por nascer de um canto batido por Diogo, Batista desvia ao primeiro poste e Luís finaliza no coração da área. Poucos minutos volvidos, António Patuleia faz o melhor golo da tarde com um bom remate fora da área. Arbitragem regular.
Com esta vitória o Cortiço alcançou o segundo lugar nesta segunda fase.

O Cortiço alinhou com:
Stalone
Bengalinha (c)
Pedro Vieira
Pedro Moreira
Diogo
Luís
António Patuleia
Jardel
Mantas
Paulo Batista
Carneiro

Golos: Carneiro, Luís e António.
Assistências: Bengalinha e Batista.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Poker de Batista estragado pelo árbitro...

Numa tarde de muito calor, o Cortiço foi derrotado pela equipa das Alcáçovas por 5-4, num jogo de loucos em que infelizmente o árbitro foi protagonista. O Cortiço iniciou bem o jogo e adiantou-se no marcador num lance em que Paulo Batista isola-se e finaliza da melhor forma, no entanto, a equipa do Alcaçovense respondeu bem e tomou as rédeas do jogo e fez por merecer o empate que chegaria com naturalidade. Poucos minutos volvidos, um defesa do Alcaçovense derruba Flores dentro da grande área e o árbitro assinala grande penalidade convertida por Batista, neste lance o defesa deveria ter sido expulso porque Flores disponha de uma ocasião eminente de golo. O Cortiço faz o  3-1 no melhor golo da tarde através do inevitável Batista. Num lance em que Lobo poderia ter saído mais cedo o Alcaçovense reduz para 3-2 e depois num lance irregular (Fora de jogo de um jogador do Alcaçovense que não toca na bola mas tem influência no lance) faz o 3-3 antes do intervalo.
A segunda parte começa com a primeira expulsão para o jogadores do Cortiço, Nuno Nunes derruba um jogador a meio campo e o arbitro não hesita e mostra-lhe o segundo amarelo. O Cortiço recuou no terreno e passou a jogar em contra-ataque e é em mais um lance individual de Batista que o Cortiço faz o 4-3. O Cortiço fechou-se bem e conseguiu aguentar a vantagem até que a 15/20 minutos do final do encontro o árbitro inventa uma falta e expulsa Ricardo por acumulação de amarelos. O Cortiço com menos dois jogadores e com alguns jogadores em inferioridade física permite dois golos de rajada, 5-4 para o Alcaçovense. Até final Stalone teve de sair do relvado lesionado, Flores ainda é expulso e Lobo pediu inteligentemente assistência na compensação quando o Cortiço já jogava com 7 jogadores.
Arbitragem horrível a todos os pontos com vários erros crassos e com uma falta de bom senso enorme.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

S.C. Alcaçovense x G.C.D. Fazendas do Cortiço

Campeonato Distrital de Évora
Alcaçovense - Cortiço
Domingo, 04 Maio 2014
16 horas

terça-feira, 29 de abril de 2014

Vitória com sabor amargo...

O Cortiço alcançou a sua terceira vitória, neste fase de manutenção, num jogo marcado por três lesões de jogadores do Cortiço. Logo nos primeiros minutos, Rodrigo lesiona-se no joelho e é substituído por Nuno Nunes. Poucos minutos volvidos, André Flores faz o 1-0 de cabeça, após assistência de Batista. O Santana reagiu bem e tomou as rédeas do jogo com mais posse de bola mas com pouco perigo junto à baliza de Lobo, já o Cortiço jogava em contra-ataque mas com pouco acerto no último terço do terreno.
Na segunda parte, o Cortiço entrou melhor e acabou por chegar ao 2-0 através de Paulo Batista que cobrou exemplarmente um livre frontal. O Santana não baixou os braços e dispôs de 2/ 3 ocasiões para marcar, no entanto, sem êxito. Até final, há a lamentar mais duas lesões de jogadores do Cortiço, João Arraiolos lesionou-se no joelho e André Flores nas costas.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Bengalinha
Pedro Vieira
Stalone
Ricardo
Luís (c)
António
Rodrigo
Mantas
Flores
Batista

jogaram ainda:
Nuno Nunes
João Arraiolos
Jardel

Golos: André Flores e Batista.
Assistência: Batista.

domingo, 27 de abril de 2014

G.C.D. Fazendas do Cortiço 2-0 F.C. Santana do Campo


Golos: André Flores e Paulo Batista.
Assistência: Paulo Batista.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Goleada no Dérbi...

O Cortiço recebeu e goleou a equipa do Valenças, por 4-1, num jogo "rasgadinho" e emotivo, tal como foram os três encontros disputados esta época entre estas equipas. O Cortiço entrou bem no jogo com Flores a criar constantes desequilíbrios na esquerda  e com os atacantes a não darem melhor seguimento na área, no entanto, foi o Valenças que numa das primeiras incursões no ataque chega ao 1-0. Cruzamento do defesa direito e finalização ao segundo poste de um atacante, no início deste lance de ataque Ricardo lesionou-se e não pode continuar da dar o seu contributo à equipa, sendo substituído por Moreira. O Cortiço reagiu bem e conseguiu chegar ao empate através de Flores após um bom passe de Batista, logo de seguida o Valenças podia ter-se coloca na frente com Mota a atirar à barra, num bom cabeceamento. Contudo, seria o Cortiço a chegar ao 2-1, antes do intervalo, através de Luís.
A segunda parte abriu com o 3-1, bom trabalho de Batista que assiste Flores. O Valenças tentou reagir à desvantagem mas seria o Cortiço, já perto do final, a fazer o 4-1 através de António que isolado não desperdiçou.
Coelho disputou o seu último jogo pelo Cortiço, devido a compromissos profissionais.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Ricardo
Arraiolos
Stalone
Bengalinha
Nuno Nunes
Luís (c)
António
Rodrigo
Flores
Batista

Jogaram ainda:
Moreira
Coelho
Jardel

Golos: Flores (2), Luís e António.
Assistências: Batista (2).

quarta-feira, 2 de abril de 2014

G.C.D. Fazendas do Cortiço 4-1 Valenças S.C.



Golos: Flores (2), Luís e António.
Assistências: Paulo Batista (2).

quarta-feira, 26 de março de 2014

Empate nas brotas

No passado domingo, o Cortiço empatou nas Brotas, apesar de ter dominado o jogo o Cortiço fez um jogo muito fraco. A primeira parte passou-se quase em exclusivo no meio campo defensivo das Brotas, no entanto, o Cortiço apenas materializou essa superioridade em 2/3 ocasiões de golo.
Na segunda parte, as Brotas arriscou mais um pouco no ataque e num contra-ataque chega ao 1-0, num lance precedido de falta sobre Lobo. O Cortiço foi à procura do golo e chegou ao empate já na parte final num livre bem executado por Flores. Paulo Batista, em cima, do apito final ainda enviou uma bola à trave.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Bengalinha
João Arraiolos
Stalone
Ricardo
Coelho
Luís (c)
Nuno Nunes
Rodrigo
João Carneiro
Paulo Batista

jogaram ainda: Mantas, Flores e António.

Golos: André Flores.

quinta-feira, 20 de março de 2014

S.C. Brotense 1-1 G.C.D. Fazendas do Cortiço

Campeonato Distrital de Évora
Brotense 1-1 Cortiço
Domingo, 23 Março 2014
15 horas

Golo: André Flores.

terça-feira, 18 de março de 2014

De volta às vitórias...

O Cortiço recebeu e venceu, no passado domingo, a equipa do Alcaçovense por 3-1. Numa tarde primaveril, assistiu-se a uma boa primeira parte de ambas equipas num jogo equilibrado e com oportunidades de golo para ambas as partes. O Cortiço inaugurou o marcador através de Paulo Batista, canto de António, Flores desvia ao primeiro poste e Batista encosta ao segundo poste. As Alcaçovas reagiu e chegou ao empate através de um bom remate frontal. Neste período os visitantes estavam por cima e enviaram uma bola ao poste, mas foi o Cortiço a adiantar-se no marcador numa boa jogada ofensiva, Mantas isola Flores que finaliza com classe frente ao guarda-redes visitante. Ainda antes do intervalo, o mesmo Flores quase faz o 3-1 num remate cruzado que passa muito perto do poste.
Na segunda parte, o jogo foi mais lento e táctico e perdeu qualidade e emoção. O Cortiço acabou por fazer o 3-1, já perto do final, na concretização de uma grande penalidade que Batista concretizou com sucesso.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Bengalinha
João Arraiolos
Stalone
Ricardo
Coelho
Luís (c)
António
Mantas
Flores
Batista

jogaram ainda:
Nuno Nunes, Rodrigo e Torres.

Golos: Batista (2) e Flores.
Assistências: Flores e Mantas.

quinta-feira, 13 de março de 2014

quinta-feira, 6 de março de 2014

SANTANA DO CAMPO 2-1 G.C.D. FAZENDAS DO CORTIÇO

O Cortiço voltou a perder fora, no segundo jogo da 2ª fase, desta vez frente à equipa de Santana do Campo. O tento do Cortiço foi marcado por Flores, num bom chapéu. O Campeonato volta a parar no próximo fim de semana.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Ricardo
Bengalinha
Stalone
J. Arraiolos
Nuno Nunes
Luís (c)
Torres
António
Rodrigo
Flores

jogaram ainda: Carneiro, Coelho e P. Batista.

Golo: Flores.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Valenças 2-0 G.C.D. Fazendas do Cortiço

No primeiro jogo a feijões desta segunda fase, o Cortiço foi derrotado por duas bolas a zero perante a equipa do Valenças. Na primeira parte o Cortiço realizou uma boa exibição pecando apenas na finalização e defensivamente nos lances de bola parada. Num desses lance o Valenças fez o 1-0, Lobo foi mal batido.
Na segunda parte, o Cortiço transformou-se para pior e apesar de dispor de 2/3 ocasiões para empatar fez uma exibição muito fraca. O Valenças acaba por sentenciar a partida já perto do final.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Ricardo
Arraiolos
Luís (c)
Catarro
Nuno Nunes
António
Torres
Rodrigo
Mantas
Bengalinha

Jogaram ainda:
Jardel e Moreira.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

2ª fase

1ª jornada (16/2)
Valenças - Cortiço
 
2ª jornada - descansa (23/02)
 
3ª jornada (02/03)
Santana - Cortiço
 
4ª jornada (16/03)
Cortiço - Alcaçovas
 
5ª jornada (23/03)
brotas - cortiço
 
6ª jornada (06/04)
Cortiço - Valenças
 
7ª jornada - descansa (13/04)
 
8ª jornada (27/04)
Cortiço - Santana
 
9ª jornada (04/05)
Alcaçovas - Cortiço
 
10ª jornada ( 11/5)
Cortiço - Brotas

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

sem hipóteses....

Num jogo de sentido único, o Cortiço foi incapaz de dificultar a tarefa do Juventude de Évora. Durante os primeiros vinte minutos o Cortiço conseguiu fechar bem as suas linhas defensivas jogando com os seus 11 jogadores atrás da linha da bola. O primeiro golo nasce após um mau alívio de Silvério, em que a defensiva do Cortiço permitiu o cabeceamento adversário, dentro da pequena área, que assistiu Xande para o primeiro da tarde. O Cortiço tentou reagir por Flores mas este com apenas um defesa pela frente permite o corte. Praticamente de seguida o Cortiço permite mais 3 golos antes do intervalo.
Na segunda parte a história manteve com o Juventude a dominar e a marcar mais 3 golos, sendo que o primeiro nasce de um penalty muito mal assinalado (falta claramente fora da área).


O Cortiço alinhou com:
Banha
Ricardo
Stalone
João Silvério
Pedro Catarro
Luís (c)
Nuno Nunes
Torres
António
Flores
Mantas

jogaram ainda: Moreira, Carneiro e Bengalinha.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

domingo, 26 de janeiro de 2014

Ingrato...

O Cortiço perdeu o seu último jogo frente ao Morense e terminou em quinto lugar a 1ª fase, falhando assim a passagem à fase de subida. Num jogo de tudo ou nada, o Cortiço desperdiçou logo, aos 3 minutos, uma excelente oportunidade para inaugurar o marcador só que António Patuleia não conseguiu concretizar. Na primeira meia hora, o jogo foi dividido e com poucas oportunidades de golo. Após uma falha defensiva, e na primeira oportunidade de golo, o Morense adiantou-se no marcador. O Cortiço reorganizou-se e reagiu bem ao golo; Mantas atirou à barra após cruzamento de Flores e o mesmo Flores, minutos depois, fez uma boa jogada que culmina com um remate à baliza defendido para a frente e Torres oportuno fez o empate.
Após o intervalo, o Cortiço entrou bem e Luís no coração da área rematou de cabeça ao lado, desperdiçando uma boa oportunidade para o Cortiço se adiantar no marcador. Poucos minutos volvidos, o Morense faz o 2-1, num lance irrregular, em que um jogador do Morense empurra Arraiolos nas costas. Neste golo, os jogadores do Morense insultaram os jogadores do Cortiço e o árbitro simplesmente não fez nada. Apesar das adversidades, o Cortiço continuou a lutar e Torres teve nos pés o empate mas o guarda-redes do Morense defendeu. Rodrigo é expulso (segundo amarelo) e Coelho também é expulso por insultar um adversário. Com menos dois jogadores, o Cortiço acaba por sofrer o 3-1, num lance de contra-ataque. Num dos últimos lances do jogo, o Cortiço constrói uma boa jogada pela esquerda, Flores cruza e António faz o 3-2. O Cortiço teve uma tarde ingrata em que correu sempre atrás do prejuízo e que pecou por não aproveitar os momentos em que podia ter estado à frente do marcador. A equipa de arbitragem esteve bastante mal, com critérios diferentes para lances iguais.

O Cortiço alinhou com:
Lobo
Rodrigo
Pedro Vieira
Stalone
Pedro Catarro
Luís (c)
António
Nuno Nunes
Torres
Flores
Mantas

Jogaram ainda:
Arraiolos
Coelho
Jardel

Golos: Torres e António Patuleia.
Assistência: Flores.